skip to Main Content

Dia dos Pais e volta às aulas mantêm venda de livros aquecida no 8º período de 2021

O segundo semestre começou positivo para o mercado livreiro – é o que aponta o 8º Painel do Varejo de Livros no Brasil em 2021, estudo realizado pela Nielsen BookScan e divulgado pelo Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL). O comparativo entre o 8º período* de 2021 e 2020 mostra um crescimento de 19,7% em volume e 26,1% em valor. Em números absolutos, foram 3,77 milhões de exemplares vendidos, com uma receita de R$157,15 milhões, contra 3,15 milhões de exemplares e R$124,58 milhões faturados na mesma época em 2020.

Com campanhas comemorativas e boa oferta de títulos, o Dia dos Pais deste ano contribuiu para o resultado ascendente, além da volta às aulas do segundo semestre letivo. “É a primeira vez este ano que temos um aumento maior em valor do que em número de exemplares. Isso demonstra uma venda mais equilibrada comercialmente, com um maior mix de produtos nesse período, o que elevou o preço médio”, comenta Marcos da Veiga Pereira, presidente do SNEL.

Cabe ainda ressaltar que a tendência de bases mais comparáveis entre 2021 e 2020 passa a se tornar mais visível nesta 8ª edição do Painel. Isso porque, neste mesmo período do ano passado, as lojas físicas já estavam em processo de reabertura e os números começavam a apontar uma nova direção para o varejo de livros. “Com cenários de vendas menos distorcidos entre um ano e outro, passamos a observar um crescimento com variações menores do que as marcas dos últimos meses”, explica Ismael Borges, gestor da divisão Nielsen BookScan.

No acumulado do ano**, o desempenho do varejo de livros também aparece em alta, registrando 44,4% em volume e 38,2% em valor. Em 2021, o mercado movimentou 31,79 milhões de exemplares, com faturamento de R$1,34 bilhões, enquanto em 2020 foram 22,01 milhões de exemplares, com receita de R$970,72 milhões.

Já na comparação do 8º período com o imediatamente anterior***, época que foi marcada por grandes promoções, nota-se uma queda já esperada: de 19,8% em volume e 15,3% em valor, o que evidencia mais uma vez a força de ações comerciais.

Esses são alguns dos dados do 8º Painel do Varejo de Livros no Brasil em 2021, apresentado pela Nielsen BookScan e pelo Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL). Os números têm como base o resultado da Nielsen BookScan Brasil, que apura as vendas das principais livrarias e supermercados no país.

Confira o estudo na íntegra

*T. Mercado – Período 08: 2020 (13/07/2020 a 09/08/2020) x 2021 (19/07/2021 a 15/08/2021)
** T. Mercado – Acumulado WK01 / WK32: 2020 (30/12/2019 a 09/08/2020) x 2021 (04/01/2021 a 15/08/2021)
*** T. Mercado – Período 07/2021 (21/06/2021 a 18/07/2021) x 08/2021 (19/07/2021 a 15/08/2021)
Fonte: Nielsen | Nielsen BookScan

Metodologia

O objetivo da criação do Painel é dar mais transparência à indústria editorial brasileira. A iniciativa da parceria entre o SNEL (Sindicato Nacional dos Editores de Livros) e a Nielsen disponibiliza para o setor dados atualizados que poderão contribuir nas tomadas de decisões por empresários de todos os portes.

Para a realização do Painel, os dados são coletados diretamente do “caixa” das livrarias, e-commerce e varejistas colaboradores. As informações são recebidas eletronicamente em formato de banco de dados. Após o processamento, os dados são enviados online e atualizados semanalmente.

Nielsen BookScan é o primeiro serviço de monitoramento de vendas de livros no mundo, presente em dez países, e o resultado de seu trabalho é um forte instrumento de decisão para as editoras que trabalham com estes dados. O SNEL divulga o Painel das Vendas de Livros no Brasil a cada quatro semanas.

Back To Top
Skip to content