skip to Main Content

Por um ambiente saudável nos negócios

“Autor, editor e livreiro formam uma trinca inseparável, pela identidade de interesses culturais e econômicos. Aquele que pense em se afastar dos outros vai se dar mal.” – Carlos Drummond de Andrade

Cunhada em uma placa afixada na sede do Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL), a frase acima é uma síntese dos princípios sustentados pela entidade de classe ao longo de seus quase 80 anos: a representação dos editores, indissociável da defesa do livro e da leitura no país e do equilíbrio de sua cadeia produtiva.

O SNEL acompanha atentamente os recentes debates sobre a situação do mercado livreiro face ao agravamento da pandemia de covid-19 no Brasil e às práticas comerciais criadas ou intensificadas em decorrência dessa nova realidade – que nem sempre estão em consonância com o conceito de união celebrado por Drummond e por nós.

Uma delas é uma política de descontos excessivos aplicada ao preço de capa dos livros (lançamentos ou não) e concentrada no e-commerce, canal que ganhou protagonismo neste período. Dados do 2º. Painel do Varejo de Livros deste ano, estudo da Nielsen em parceria com o SNEL, revelam que, no comparativo entre 2020 e 2021, houve um aumento de 8 p.p. (pontos percentuais) no valor do desconto médio concedido nas vendas. É fundamental esclarecer que – ao contrário do que o senso comum leva a crer – os crescentes descontos não deflagram um cenário positivo para o mercado livreiro.

Tal movimento afeta drasticamente as margens de lucro das editoras e livrarias, que acompanham a depreciação de valor comercial e cultural de seus produtos, o que, em última análise, enfraquece a bibliodiversidade brasileira. O aumento da variedade de títulos circulando na sociedade e a ampliação dos índices de leitura no país são bandeiras perenes e prioritárias em nossos posicionamentos nos âmbitos político, social e econômico.

Por isso, diante das discussões em voga atualmente no setor do livro no país, torna-se ainda mais importante a manifestação pública do SNEL em defesa de um ambiente saudável de negócios. Nosso desejo é que as relações comerciais sejam pautadas pela transparência e equilíbrio entre todos os entes da cadeia livreira, que, no longo prazo, trará ganhos enormes para a indústria e consequentemente para a nação leitora que lutamos para fomentar.

Back To Top
Skip to content