RD skip to Main Content

XVII Bienal Internacional do Livro do Rio terá 125 horas de programação

Duzentos autores, sendo 27 estrangeiros, vão protagonizar as atrações culturais da XVII Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro. Ao todo, serão 125 horas de programação diversificada. O evento, que será realizado de 3 a 13 de setembro, no Riocentro, ocupará uma área de 80 mil metros quadrados e contará com 950 expositores. A…

Duzentos autores, sendo 27 estrangeiros, vão protagonizar as atrações culturais da XVII Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro. Ao todo, serão 125 horas de programação diversificada. O evento, que será realizado de 3 a 13 de setembro, no Riocentro, ocupará uma área de 80 mil metros quadrados e contará com 950 expositores. A expectativa de público é de 660 mil visitantes.

Em 2015, a Bienal do Livro Rio terá a Argentina como país homenageado, que participa da programação com 14 autores. A programação foi apresentada à imprensa em uma coletiva realizada no último dia 4 de agosto, no Consulado da Argentina.

“Só há uma maneira de se perpetuar um evento de sucesso e continuar a atrair o público: inovando. Para isso, não poupamos esforços nem investimento. Este ano, o investimento na programação aumentou 12% em relação à última edição e triplicou desde 2009”, afirma Marcos da Veiga Pereira, presidente do Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL) que realiza a Bienal junto com a Fagga | GL events Exhibitions.

Autores
No que diz respeito aos participantes da programação cultural, a Bienal 2015 bate dois recordes: estarão presentes mais de 200 autores de diversos estilos, incluindo 27 estrangeiros. Eles vão entrar em contato direto com seus públicos em ambientes informais como Café Literário, Cubovoxes, Conexão Jovem, Encontro com Autores e SarALL. O melhor da produção brasileira contemporânea estará representado, com ênfase em sua variedade: ficção, poesia, ensaios, biografias, fantasia, história, política, negócios, comportamento, moda, música, sociedade, humor, quadrinhos, clássicos infantis, educação e muito mais.

Fazem parte da delegação internacional David Nicholls (Um Dia), Julia Quinn (Os Bridgertons), Leigh Bardugo (Grisha), Raymond E. Feist (O Mago), Colleen Hoover (Hopeless), Jeff Kinney (Diário de um banana), Joseph Delaney (As Aventuras do Caça-Feitiço), Anna Todd (After), Colleen Houck (A Maldição do Tigre), Sophie Kinsella (Becky Bloom), Jacques Leenhardt (organizador de uma edição especial de Viagem pitoresca e histórica ao Brasil, de Debret), Josh Malerman(Caixa de Pássaros), e Pedro Chagas Freitas, fenômeno de vendas em Portugal, que lança Prometo falhar.

A delegação argentina completa o time internacional. Ela é composta por grandes nomes como Martín Kohan (Segundos fora), Tamara Kamenszain (O gueto/ O eco da minha mãe), Eduardo Sacheri (O segredo dos seus olhos), Claudia Piñeiro (As viúvas das quintas-feiras), Mariana Enríquez (As coisas que perdemos no fogo), Mempo Giardinelli (O décimo inferno), María Moreno (Teoría de la noche), Sergio Olguín (La fragilidad de los cuerpos), Tute (Batu 1), Diana Bellessi (Pasos de baile), Noé Jitrik (Historia critica de la literatura argentina), Inés Garland (Una reina perfecta), Silvia Schujer (Hugo tiene hambre) e Luciano Saracino (a graphic novel Jim Morrison: o Rei Lagarto).

Mauricio de Sousa
A presença de Mauricio de Sousa também está garantida. Comemorando seus 80 anos em plena Bienal, ele é o autor homenageado desta edição e vai inspirar ações especiais durante o evento por meio de sua trajetória e seus personagens. Ele recebe ainda o Prêmio José Olympio, oferecido pelo SNEL, a cada Bienal, a personalidades e entidades empenhadas na promoção da leitura.

Café Literário


Entre os espaços da programação oficial, o sempre concorrido Café Literário permanece com seus debates dedicados a todos os aspectos da cultura. Rodrigo Lacerda estreia como curador e, entre muitos outros temas, vai colocar em pauta as relações do Rio de Janeiro com as letras – será uma das homenagens da Bienal aos 450 anos da cidade. O espaço, que nessa edição terá uma área especial para autógrafos, vai celebrar grandes autores – de Mario de Andrade a João Ubaldo Ribeiro – e colocar em pauta temas atuais como a polêmica das biografias e a crise econômica. Doutor em Teoria Literária e Literatura Comparada pela Universidade de São Paulo (USP), Rodrigo é editor e escritor premiado, já tendo recebido dois Jabutis.
Dentre os participantes do Café Literário estão Alberto Mussa, Edney Silvestre, Geraldo Carneiro, Mírian Leitão, Graziela Betting, Dado Villa-Lobos, Ferreira Goulart, Ruy Castro e Ignácio Loyola Brandão.

Bamboleio


A Bienal terá duas atrações inéditas dedicadas aos pequenos leitores e novos entusiastas dos livros. No Bamboleio, as crianças vão participar com suas famílias de jogos literários e brincadeiras que envolvem as culturas de todos os países – aprendendo, assim, a importância de conviver com as diferenças. Nesse sentido, os Jogos Olímpicos funcionam como inspiração: os aros coloridos se transformam em bambolês que servem de pontes para o imaginário e o universo mágico das primeiras leituras. As atividades, sempre interativas, incluem biblioteca, cabines de leitura, trava-línguas e outras surpresas multimídia. A concepção e a curadoria do espaço são do escritor e historiador João Alegria, diretor do Canal Futura.

Cubovoxes


Já o Cubovoxes, também a cargo de João Alegria, será uma atividade dinâmica que vai conectar, incluir e compartilhar tendências de pensamento e as manifestações culturais do momento em uma arena na qual adolescentes e jovens adultos serão convidados a bate-papos com personalidades do cotidiano e alguns de seus ídolos literários. O espaço é composto por um auditório em formato de cubo, que dá voz aos adolescentes e expande suas ideias. Ao seu redor haverá duas áreas expositivas: a galeria das luzes – que vai expor grandes obras que inspiraram transformações e revoluções – e o jardim imaginário, onde o visitante terá acesso a livros criados por jovens ou que encantaram diversas gerações.
Ao todo serão realizadas 30 sessões que contarão com as participações de Marcus Faustini, Carina Rissi, Raphael Dracoon e Antonio Prata, entre outros.

Encontro com Autores & Conexão Jovem
Nomes celebrados pelos adolescentes e pelo público em geral estarão ainda nas sessões de Encontro com Autores e Conexão Jovem, realizadas no auditório Madureira (Pavilhão Verde), com capacidade para 700 pessoas.

SarALL
Uma novidade para incrementar ainda mais a diversidade de público e conteúdo da Bienal é o SarALL, realizado com a Flupp – a Festa Literária das Periferias. Entre 4 e 6 de setembro, poetas e grupos de saraus originários de diferentes regiões do país vão trocar experiências e manter viva a tradição poética oral. A proposta é valorizar a espontaneidade e a interação com a plateia, que terá o microfone à disposição. Ecio Sales e Julio Ludemir, idealizadores da Flupp, são os curadores.
Sérgio Vaz, Binho e Rodrigo Ciríaco são alguns dos responsáveis por saraus famosos no país que participarão da Bienal. O espaço do SarALL terá microfones abertos para apresentações do público.

Programação profissional
Nesta edição, a Bienal realiza, no dia 4 de setembro, o “Encontro Internacional do Mercado Editorial” que contará com um CEO Panel com Stefano Mauri, presidente do Grupo Editorial Mauri Spagnol (Gems); e Jo Lendle, presidente da Carl Hanser Verlag, além do “1º Fórum de Educação”. Para fomentar negócios, haverá o Agent & Business Center, realizado em parceria com a Feira do Livro de Frankfurt. Funcionará durante os três primeiros dias da Bienal. A iniciativa aproxima ainda mais o grande evento literário do Brasil e o maior centro de negócios do mercado editorial no mundo. Já foram vendidas mesas para editores do Reino Unido, Índia, França e Itália.

Patrocínios
A XVII Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro tem como patrocinadores másters o Grupo Bradesco Seguros, a Petrobras e o BNDES. A Piraquê (Conexão Jovem/Encontro com Autores e Ponto de Encontro), a Supergasbras (Praça de Leitura), a Light (Visitação Escolar), a Bic (Praça Espaço Criativo) e os Correios (operação logística) também são patrocinadores. A Bienal conta ainda com a realização do Ministério da Cultura através da Lei Federal de Incentivo à Cultura e com o patrocínio do Governo do Rio de Janeiro, Secretaria de Estado de Cultura, pela Lei estadual de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro.

Clique aqui para ver a programação completa

Back To Top