skip to Main Content

Mercado livreiro fecha primeiro semestre em alta e 7º período registra o maior volume de vendas em 2021

O balanço do primeiro semestre deste ano traz ventos de otimismo para o mercado livreiro brasileiro, que segue em ascensão após um 2020 fortemente afetado pelas restrições da pandemia. Realizado pela Nielsen BookScan e divulgado pelo Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL), o Painel do Varejo de Livros no Brasil chega à sua 7ª edição em 2021 registrando alta nos três cenários analisados pelo estudo.

O acumulado do ano* (que contempla os primeiros 6 meses de 2021 e parte de julho) aponta 28 milhões de exemplares vendidos contra 18,9 milhões no mesmo período em 2020 – um acréscimo de 48,5% em volume. Em valor, o setor faturou 39,9% a mais, passando de R$846,2 milhões para R$1,19 bilhões este ano.

“Desde setembro de 2020, o aumento do consumo de livros vem demonstrando o bom desempenho de esforços comerciais como o estímulo a ações promocionais, a oferta de bons lançamentos e o estreitamento do relacionamento com os leitores nas redes sociais. Enquanto indústria, precisamos nos conscientizar cada vez mais sobre a responsabilidade que temos de fomentar o hábito de leitura”, afirma Marcos da Veiga Pereira, presidente do SNEL.

O 7º período** de 2021 sozinho também apresentou um crescimento expressivo nas vendas, em comparação ao mesmo intervalo em 2020. Chama atenção o volume de exemplares comercializados no período: 4,7 milhões contra 2,95 milhões na mesma época em 2020, uma variação de 59,3%, a maior marca deste ano até o momento. Já o faturamento saltou 58,4%: de R$117,08 em 2020 para R$185,52 milhões em 2021.

Ismael Borges, gestor da divisão BookScan, comenta: “este período em 2020 já  começava a marcar uma retomada pela positividade das vendas. A tendência é que os períodos seguintes apresentem bases comparativas mais próximas, mantendo uma expectativa de crescimento substancial”.

Por fim, o comparativo entre o 7º período de 2021 e o período imediatamente anterior*** mostra um incremento de 26% em volume e de 23,7% em valor, especialmente impulsionado pelo evento comercial de uma grande varejista no fim de junho.

Esses são alguns dos dados do 7º Painel do Varejo de Livros no Brasil em 2021, apresentados pela Nielsen BookScan e pelo Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL). Os números têm como base o resultado da Nielsen BookScan Brasil, que apura as vendas das principais livrarias e supermercados no país.

* T. Mercado – Acumulado WK01 / WK28: 2020 (30/12/2019 a 12/07/2020) x 2021 (04/01/2021 a 18/07/2021)

**T. Mercado – Período 07: 2020 (15/06/2020 a 12/07/2020) x 2021 (21/06/2021 a 18/07/2021)

***T. Mercado – Período Período 06/2021 (24/05/2021 a 20/06/2021) x Período 07/2021 (21/06/2021 a 18/07/2021)

Fonte: Nielsen | Nielsen BookScan

Metodologia

O objetivo da criação do Painel é dar mais transparência à indústria editorial brasileira. A iniciativa da parceria entre o SNEL (Sindicato Nacional dos Editores de Livros) e a Nielsen disponibiliza para o setor dados atualizados que poderão contribuir nas tomadas de decisões por empresários de todos os portes.

Para a realização do Painel, os dados são coletados diretamente do “caixa” das livrarias, e-commerce e varejistas colaboradores. As informações são recebidas eletronicamente em formato de banco de dados. Após o processamento, os dados são enviados online e atualizados semanalmente.

Nielsen Bookscan é o primeiro serviço de monitoramento de vendas de livros no mundo, presente em dez países, e o resultado de seu trabalho é um forte instrumento de decisão para as editoras que trabalham com estes dados. O SNEL divulga o Painel das Vendas de Livros no Brasil a cada quatro semanas.

Back To Top
Skip to content